sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Estimados leitores...







Partilho convosco a música que mais ouvi nesta quadra festiva.



A todos os votos de um 2012 repleto de saúde, pois tudo o resto vem por acréscimo*

Bye, bye 2011




Deste ano ficam as seguintes lições:



Não ser egoísta. Não me esquecer do outros. Ter em conta que cada acção que possamos ter pode perturbar o espaço do outro.


Não desistir. Se acreditamos num facto, devemos-lhe ter fé sempre. Acredito na teoria de que se desejarmos muito algo, podemos sempre consegui-lo com a força do nosso desejo e da nossa vontade.


Seguir sempre o meu coração. Deixei-me ir por ele e hoje sou feliz.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Leva-me...



...contigo numa viagem sem fim.

Ama-me, desarma-me.

Nasce um novo remoinho de emoções.

Debaixo dos pés descalços sinto a terra fresca, as gotas da chuva deslizam pelo rosto, o teu aperto de mão é doce e quente e o teu abraço, é o abraço de uma vida.

Fazes-me ainda mais louca e livre.

Somos um e nada te levará de mim.





Sinto saudade de te olhar pelo canto do olho em busca do teu sorriso.

Nunca foi preciso dizer nada.

Bastava olhar-te, e tu abrias sempre aquele teu sorriso que sempre me derreteu.

Tenho saudades de te ter sempre comigo fisicamente.

Mas afinal estás mesmo sempre comigo, no meu coração.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011



Era de manhã.

O frio próprio de época começava a desaparecer dando lugar àquele sol de Inverno.

Ao longe ouviam-se madeiras que chiavam, e ainda mais longe alguns cães ladravam.

E foi naquele bonito jardim, longe de tudo e de todos, onde reina uma paz duradoura, onde os sons e os cheiros são diferentes, que nos perdemos de amor.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Hoje sei que tudo valeu a pena.
O primeiro sorriso, o primeiro "bom dia".
O primeiro bilhete.
O primeiro café, o primeiro jantar.
O primeiro beijo.
A primeira vez que me tocaste.
Lembro-me bem do calor da tua mão.
A primeira vez que amei o teu cheiro.
Quantas vezes não me perdi, quando a brisa trouxe o teu cheiro.
Valeram a pena todas as noites que te desejei, sem te poder ter.
Foi no dia em que tomámos o nosso primeiro café, que percebi que te queria.
Não sabia o porquê.
Ainda hoje não sei o que naquele momento me fez, sem te conhecer, porque não te conhecia mesmo, ter a certeza de te desejar tanto.
Perdi-me nos teus olhos e levei um banho de vontade de me entregar a ti.
Foram muitas as noites, em que enquanto o sono não vinha, tentei descodificar a tamanha atracção que sentia e ainda sinto por ti.
O tempo foi passando, e com ele fui começando a conhecer o teu lado de amigo, de bom amigo, de amigo de copos, de "irmão", de mestre, de amigo colorido, de confidente.
A primeira vez que te ouvi e vi cantar foi mágico.
A primeira noitada, foi uma das melhores da minha vida.
Apesar de em determinados momentos em que estivemos mais distantes, de outros em que nem sempre nos entendemos, apesar de todas as confusões a que já assistimos...
Meu amor, tenho te a dizer que: valeu tão pena :)!
E sinto-me tão tua...
E já mais nada faz sentido sem saber-te por perto.
Como se, antes de me entregar de corpo e alma a ti meu amor, tivesse sempre passado pelas coisas sem as ver.
Como se tudo estivesse gasto e cansado.
E tu vieste, amaste-me e fizeste com que eu te amasse, mais que qualquer outra coisa, neste mundo.
Salpicaste os meus dias de cor, de vida, de alegria, de amor, de vontade de viver, e de descobrir o amanhã, sem medos.
Paraste o tempo, e mergulhaste-me num mar de felicidade e paixão.
Em cada final do dia, em que me penteias o cabelo, o corpo descomprime, os sentimentos e pensamentos fluem, e sinto-me mais feliz que nunca.
"Eu tenho meus desejos e planos secretos, só abro para você, mais ninguém".
Tu sabes quais são...
Espero que o tempo e a vida nos proporcionem a realização desses projectos.
Dás-me amor, dás-me vida, dás-me uma outra família.´
Dás-me coragem e força.
E a mim, apenas me preocupa dar-te o meu melhor, despida de todos os véus.